quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Entendendo a LID - Linha Internacional da Data

A velocidade das comunicações acabou impondo a necessidade de unificação da hora em todo o mundo. Para tanto criou-se o sistema de fusos horários, cujos princípios foram propostos em 1884 na Conferência de Washington. Por esse sistema o globo terrestre foi dividido em 24 fusos horários, cada um deles equivalente a 1 hora ou 15 meridianos ou 15º de longitude. Adotou-se como fuso de referência o de Greenwich, responsável pela hora oficial mundial ou hora GMT (Greenwich Meridian Time). Uma vez estabelecido o sistema de fusos horários, foi necessário determinar o meridiano a partir do qual se deveria começar a contagem do novo dia. O meridiano escolhido foi o de 180º (o antimeridiano internacional), que passou a ser a linha internacional da data, pois ela processa a mudança de datas.





Essa linha atravessa o Oceano Pacífico, apresentando vários desvios para não passar por nenhum lugar habitado. Passa pelo Estreito de Bering, pelo leste da Península de Kamtchatka e, em seguida, passa entre as ilhas Aleutas e Samoa e daí até o pólo sul. Se um viajante cruzar essa linha no sentido oeste-leste, deve subtrair um dia (24 horas) e, se cruzá-la no sentido leste-oeste, deve acrescentar um dia.

IMPORTANTE:
Considerando que o movimento de rotação de Terra, se completa em 24 horas, afirma-se que: 
360º + 24H
Dividimos os 360º pelas 24 horas, teremos o espaço correspondente a 1 hora então:
360º : 24h = 15º
Estes 15º de longitude correspondem a uma hora.
O movimento de rotação terrestre é no sentido W – E, então para leste (E) a hora aumentará e para (W) oeste a hora diminuirá.


Nenhum comentário:

Postar um comentário